Arquivos

Cartaz Bande Dessinée Virada

Bande Dessinée em São Paulo

Cartaz Bande Dessinée Virada

Depois da Virada Cultural que aconteceu na capital de São Paulo, é a vez de 28 cidades do interior do Estado receber, durante dois finais de semana, a programação da Virada Cultural Paulista, realizada pelo Governo do Estado. A Bande Dessinée é um dos poucos grupos de Pernambuco que foram selecionados para participar do evento. O grupo toca dia 01 de junho, em São Carlos, no mesmo palco que os Titãs.

Aproveitando a ida para o Sudeste, a Bande Dessinée faz show, no dia anterior, no Espaço Cultural Puxadinho da Praça, na cidade de São Paulo. Os dois shows são resultado de uma parceria entre o grupo com a produtora Sambada Comunicação e Cultura que vem investindo na música independente local há 10 anos.

Criada em 2007, a Bande Dessinée – que significa história em quadrinhos em francês – é um dos grupos mais atuantes da música independente de Pernambuco. Em 2011, lançou Sinée Qua Non, seu primeiro álbum e, atualmente está na fase de pré-produção do segundo disco, Chanteclair, produzido por Leo D. (tecladista da Mundo Livre S/A) com direção artística do DJ Patrick Tor4.

Segundo Filipe Barros, guitarrista, vocalista e principal compositor da banda, Chanteclair será um disco pop e terá mais faixas cantadas em português que o primeiro álbum que apresentava músicas em francês e italiano. Outra novidade será a estreia em disco de Clarice Mendes, a voz feminina da banda. O repertório dos dois shows terá músicas do primeiro álbum, além de novas composições que estarão em Chanteclair como Perdizes, Estelita, Isabelle, Destemida e Satisfaz.

SERVIÇO
Dia 31/05 – 20h
Espaço Cultural Puxadinho da Praça
Rua Belmiro Braga, 216 – Vila Madalena – São Paulo/SP
Evento: https://www.facebook.com/events/533282160115486/?ref=ts&fref=ts

Dia 01/06 – 15h30
Virada Cultural Paulista 2014
Praça do Mercado – Centro – São Carlos/SP
Evento: https://www.facebook.com/events/309601325858750/?source=1

Ticuqueiros - José de Holanda

Sons de Pernambuco chega a 100 nomes

Ticuqueiros - José de Holanda

Na semana passada, foram criadas as últimas 6 páginas que faltavam para completar os 100 artistas/grupos catalogados nesta primeira etapa do site Sons de Pernambuco. A pesquisa começou em janeiro de 2013 mas, o site só foi inaugurado em novembro com a catalogação bio-músico-fonográfica de 79 nomes importantes da música contemporânea. Não foi fácil criar este catálogo virtual com as informações que estão disponibilizadas.

Discos fora de catálogo que, em alguns casos, nem o próprio artista possuía; material enviado incompleto e falta de interesse por parte de alguns dos catalogados foram espinhos que os curadores/pesquisadores encontraram pelo caminho. Porém, o empenho e a vontade de criar o maior panorama virtual da música independente de Pernambuco foram mais fortes e conseguiram se sobrepor aos acúleos da caminhada.

Entre estes 6 últimos nomes, estão duas importantes orquestras de frevo do Estado: SpokFrevo Orquestra e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Ambas foram criadas por dois jovens maestros que contradizem a teoria, que de vez em quando ressuscita: “o frevo morreu” ou “o frevo precisa de renovação”. As duas orquestras executam frevos clássicos e novas composições em seus shows sem perder o vínculo com a contemporaneidade.

Outros 2 nomes que passaram a integrar o catálogo são oriundos do interior de Pernambuco: Samba de Véio da Ilha do Massangano, de Petrolina e Ticuqueiros, de Nazaré da Mata. Este último, coincidentemente na mesma semana que entrou para a catalogação também foi indicado para o 25º Prêmio da Música Brasileira, na categoria Melhor Grupo Regional. O Samba de Véio dispensa apresentações! É um dos grupos da tradição oral mais importantes da cultura sertaneja. Lançou dois álbuns e realiza apresentações dentro e fora do Estado com frequência.

Fechando a lista, mas não menos importante, Zeh Rocha. Cantor, músico e um dos autores mais significativos de sua geração, possui músicas gravadas por Lenine, Elba Ramalho, Boca Livre, Geraldo Maia, Maciel Melo, entre diversos outros nomes da música brasileira. O GUIA também recebeu algumas atualizações e a GALERIA chegou a 150 reproduções de peças gráficas sobre a música pernambucana. Ponto para Pernambuco!

Foto: Ticuqueiros – José de Holanda.

Mundo Livre SA - Foto Duda Lopes

Chegando ao final da catalogação…

Mundo Livre SA - Foto Duda Lopes

Mais um lote com 5 nomes acaba de ser postado na catalogação de artistas/grupos da música contemporânea pernambucana. Entre eles, uma das principais bandas do Movimento Mangue, a Mundo Livre S/A que, ao lado de Chico Science e Nação Zumbi, revolucionou o mercado da música local, nos anos 1990. Toda a discografia da banda está listada em sua página.

Outros dois nomes importantes deste lote são o Maracatu Nação Pernambuco e Maciel Salú. O primeiro, tem um papel fundamental na valorização das tradições populares do Estado, movimento iniciado também nos anos 1990. Inclusive, era um dos grupos admirados por Chico Science na época que o malungo criou a Nação Zumbi.

O segundo, 0 rabequeiro, compositor, cantor e mestre de maracatu, Maciel Salú, pertence a uma das famílias mais importantes quando o assunto é tradição e cultura popular pernambucanas: os Salustianos. Liderada por muitos anos pelo saudoso Mestre Salustiano, é uma família de artistas e brincantes que até os dias atuais continua lançando talentos ligados à música e à dança populares no mercado local.

Fechando este lote de nomes expressivos ligados ao universo da música independente, o violinista Sérgio Ferraz e a banda Volver. Somando 84 nomes até o momento, o site Sons de Pernambuco está se aproximando do final da primeira etapa que prevê 100 nomes catalogados. A próxima postagem trará os 6 últimos artistas/grupos.

Foto: Mundo Livre S/A – Duda Lopes.

Karynna Spinelli - Foto Nilton Leal baixa

Sons de Pernambuco recebe mais 4 nomes

Karynna Spinelli - Foto Nilton Leal baixa

A ideia inicial do Sons de Pernambuco é catalogar a produção fonográfica de 100 nomes da música do Estado que lançaram discos nos últimos 30 anos. Em novembro de 2013, o site entrou no ar com 75 nomes de artistas e grupos. A partir de hoje, 4 nomes expressivos se integram ao panorama contemporâneo da produção musical local.

Os critérios da curadoria, realizada pelos jornalistas e pesquisadores Paloma Granjeiro e Pedro Rampazzo, da Sambada Comunicação e Cultura, continuam sendo os mesmos do início do projeto: valorizar artistas e grupos que estejam vivos e em plena atividade artística; postergar nomes com carreiras consagradas nacional e internacionalmente e, principalmente incluir nomes que tenham lançado ao menos um produto fonográfico industrializado como CD, LP, DVD, SMD e similares.

Contudo, o critério mais importantes é o acesso ao material dos artistas/grupos. É fundamental que os próprios disponibilizem e autorizem a exposição de informações sobre suas carreiras artísticas, sobretudo em relação a produção fonográfica, pois muitos discos estão fora de catálogo e indisponíveis no mercado.

Mesmo sendo um projeto de divulgação gratuita para os agentes da música pernambucana, alguns artistas e grupos selecionados pela curadoria preferiram não participar da catalogação. Outros não conseguiram juntar o material necessário para a criação de uma página no site com texto biográfico resumido, foto e reprodução de capas e fichas técnicas de discos.

É com muita alegria e prazer que o projeto Sons de Pernambuco inclui 4 novos nomes na catalogação. São eles: Silvério Pessoa, Ortinho, Karynna Spinelli e Jr Black. Sejam bem vindos!

Foto: Karynna Spinelli – Nilton Leal

PAES - Foto divulgação editada

Sem Despedida será replicado em 2014

 

PAES - Foto divulgação editada

Esta semana, saiu uma matéria no Diário de Pernambuco sobre discos que serão lançados em 2014. A jornalista apresenta um pequeno panorama sobre a enorme lista de lançamentos que devem acontecer durante todo o ano. A Sambada Comunicação e Cultura está envolvida em 3 produções fonográficas voltadas para a música contemporânea do Estado que estarão disponíveis em CD nas lojas ainda no primeiro semestre deste ano.

Um destes álbuns é Sem Despedida, de PAES, alterego do músico, cantor e compositor Paulo Paes. O CD foi disponibilizado virtualmente e numa versão promocional em junho de 2013. O disco físico, lançado com o incentivo do Funcultura, será em formato digipack com encarte de 12 páginas incluindo as letras das músicas e ficha técnica completa.

A produção musical do álbum é assinada por Filipe Barros, PAES e Rogério Samico. Este último, também fez a mixagem de Sem Despedida que conta com as participações especiais da cantora Ana Ghandra, do bandolinista Rafael Marques (Saracotia), do cantor Tiné e do percussionista Gilú Amaral (ambos da Orquestra Contemporânea de Olinda). As gravações foram feitas no estúdio da Faculdade Aeso Barros Melo, onde o artista cursa produção fonográfica, e a masterização é de Arthur Soares, do Estúdio Base. O projeto gráfico terá ilustrações da artista Isabela Stampanoni e designer de Daniela Brilhante.

TRAJETÓRIA — A relação de PAES com a música teve início ainda na infância, observando os blocos e maracatus no Carnaval do Recife e de Olinda, além das frequentes audições de LPs tocados pelos seus pais. Estudou música em escolas do Recife, especializando-se em teclado e baixo elétrico. Durante esta época, formou alguns grupos de música pop/experimental com influências do jazz americano e dos ritmos tradicionais do Nordeste.

Depois de realizar uma série de shows pelos circuitos estudantis e independentes, PAES descobriu no violão a melhor forma para compor suas músicas instrumentais e canções. Lançou os EPs Paulo Paes (2007) e Brisa (2008), além de desenvolver trabalhos com a Orquestra Contemporânea de Olinda, Geraldo Maia, Embuás e Hijos Del Mar (banda da Argentina).

Tocou em festivais de música independente como Grito Rock Olinda, Flores Astrais e Pai da Mata 2 e realizou shows no Rio de Janeiro, São Paulo e Argentina. A formação atual da banda inclui músicos experientes, como o guitarrista Filipe Barros (Bande Dessinée), o baixista Rafael Gadelha (A Banda de Joseph Tourton) e o baterista Raphael Beltrão (Orquestra Contemporânea de Olinda).

Para escutar: https://soundcloud.com/paescloud

Foto: Camila van der Lindem.