Arquivo mensais:setembro 2012

Festival Sertão Itaparica Mundo 2012 - Cidadão Instigado (Mateus Sá) 01

Fotos do Sertão Itaparica Mundo 2012

Cidadão Instigado

Banda UÓ

COUTTO ORCHESTRA DE CABEÇA (SE)

BÁRBARA EUGÊNIA + BANDE DESSINÉE (SP/PE)

CABRUÊRA (PB)

Ferrugem + Coco de Toré Pandeiro do Mestre (PE)

NAURÊA (SE)

BABI JAQUES E OS SICILIANOS (PE)

RADIOLA SERRA ALTA (PE)

CAMARONES ORQUESTRA GUITARRÍSTICA (RN)

AFOXÉ OYÁ ALAXÉ (PE)

Grupo de Xaxado Cabras de Lampião (PE)

cabruêra (PB)

banda uó (GO)

BABI JAQUES E OS SICILIANOS (PE)

CIDADÃO INSTIGADO (CE)

BÁRBARA EUGÊNIA + BANDE DESSINÉE (SP/PE)

AFOXÉ OYÁ ALAXÉ (PE)

COUTTO ORQUESTRA DE CABEÇA (SE)

CAMARONES ORQUESTRA GUITARRÍSTICA (RN)

FERRUGEM + COCO DE TORÉ PANDEIRO DO MESTRE (PE)

GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO (PE)

RADIOLA SERRA ALTA (PE)

NAURÊA (SE)

Fotografias: Mateus Sá.

L

Vencedores da 3ª Mostra Nacional Curta Sertão

1° lugar – L (SP, 2011), de Thais Fujinaga
2 ° lugar – Realejo (SP, 2011), de Marcus Vinícius Vasconcelos
3° lugar – Deus (DF, 2011), de André Miranda
Menção honrosa – Tembiara (MG, 2011), de Jackson Abacatu

Por mais que a evolução científica e tecnológica alcance rapidamente parâmetros que um dia foram exclusivos da ficção científica, as pessoas ainda enfrentam os dilemas da tolerância e da aceitação das diferenças entre si. O confronto dessas distinções ocorre em vários graus de violência e se desenrolam em muitos contextos: de um campo de batalha a uma aula de natação para crianças. Mas é pela delicadeza contundente no retrato desse conflito, expressa sobretudo pela afinação precisa entre o roteiro e  elenco  econômicos que o júri concede ao filme L, dirigido por Thais Fujinaga, o 1º lugar.

Se por um lado a animação nos permite alçar longos vôos para longe do nosso universo conhecido, por outro tem a capacidade de nos dar um distanciamento necessário para refletir sobre as condições de nossas experiências mundanas. Pelo comentário simbólico sobre a ansiedade/aceitação do destino pelo ser humano, aliado à bela técnica e à eficiente narrativa, o júri concede ao filme Realejo, de Marcus Vinícius Vasconcelos, o 2º lugar.

“Existir” é um enigma que persegue o homem. Diante da variedade (e da complexidade) dos sistemas que tentam explicar a existência humana, o saldo atual é apenas mais perplexidade. E é pela irreverência com que lida com essa incerteza e pelo uso original do nonsense como resposta possível (por que não?) a ela, o júri concede ao filme Deus, de André Miranda, o prêmio de 3º lugar.

Pela emulação que faz da linguagem simbólica das lendas indígenas e pela crítica ao desenvolvimentismo desenfreado que desequilibra a natureza e sacrifica o próprio homem que o promove, o júri concede a Tembiara, de Jackson Abacatu, a menção honrosa da 3ª Mostra Nacional Curta Sertão.

Integraram o júri da 3ª Mostra Nacional Curta Sertão: Alexandre Soares, Daniel Bandeira, Luiz Otávio Pereira e Zácaras Garcia.

Fotografia: filme L – divulgação.