Arquivo mensais:abril 2011

cinedocumenta

Tebei será exibido no interior de Minas Gerais

O documentário Tebei, realizado pela Sambada Comunicação e Cultura, será exibido no festival Cinedocumenta – 8ª Mostra de Cinema Documentário de Ipatinga, em Minas Gerais. Será a 13ª participação do vídeo em festivais nacionais e internacionais de audivisual.

O festival – “Na tradição documentarista brasileira, os temas ligados às nossas mazelas sociais dominaram amplamente a nossa produção, e ainda compõem a hegemonia do discurso cinematográfico nacional influenciando tanto no aspecto do conteúdo quando na forma dos filmes. Fome, miséria e violência são linhas mestras que tecem o pano de fundo dos documentários nacionais desde o limiar do Cinema Novo na década de 1960.

A Cinedocumenta de 2011 propõe um intervalo para a reflexão. Uma pausa para a alegria de viver o humor crítico e as maneiras alternativas de reconstruir o cotidiano. O slogan deste ano, ‘viva o povo brasileiro’ inspirado no título do livro clássico de João Ubaldo Ribeiro, nos sugere outro recorte para a seleção de filmes.

Buscamos documentários que não escondam nossas tragédias, mas evidenciem a nossa ALEGRIA. ‘Alegria é a prova dos nove’, como está escrito no Manifesto Pau-Brasil da Semana de Arte Moderna. Trata-se de mostrar que também podemos criticar o elitismo cultural, os contrastes raciais, sociais e sexuais exibindo a espontaneidade e a criatividade do brasileiro.

‘Viva o povo brasileiro’ porque a Cinedocumenta quer elogiar a resistência e a capacidade de reinvenção de uma gente que tem forças para sorrir diante dos horrores do presente e festejar mesmo sofrendo com a herança perversa de sua história”.
(Sávio Tarso – Curadoria de Programação).

 

CINEDOCUMENTA

cinedocumenta

Tebei será exibido no interior de Minas Gerais

 O documentário Tebei, realizado pela Sambada Comunicação e Cultura, em 2008, será exibido no festival Cinedocumenta – 8ª Mostra de Cinema Documentário de Ipatinga, em Minas Gerais. Será a 13ª participação da obra em festivais nacionais e internacionais de audiovisual.

O festival – “Na tradição documentarista brasileira, os temas ligados às nossas mazelas sociais dominaram amplamente a nossa produção, e ainda compõem a hegemonia do discurso cinematográfico nacional influenciando tanto no aspecto do conteúdo quando na forma dos filmes. Fome, miséria e violência são linhas  mestras que tecem o pano de fundo dos documentários nacionais desde o limiar do Cinema Novo na década de 1960.

A Cinedocumenta de 2011 propõe um intervalo para a reflexão. Uma pausa para a alegria de viver o humor crítico e as maneiras alternativas de reconstruir o cotidiano. O slogan deste ano, ‘viva o povo brasileiro’ inspirado no título do livro clássico de João Ubaldo Ribeiro, nos sugere outro recorte para a seleção de filmes.

Buscamos documentários que não escondam nossas tragédias, mas evidenciem a nossa ALEGRIA.  ‘Alegria é a prova dos nove’, como está escrito no Manifesto Pau-Brasil da Semana de Arte Moderna. Trata-se de mostrar que também podemos criticar o elitismo cultural, os contrastes raciais, sociais e sexuais exibindo a espontaneidade e a criatividade do brasileiro.

“Viva o povo brasileiro’ porque a Cinedocumenta quer elogiar a resistência e a capacidade de reinvenção de uma gente que tem forças para sorrir diante dos horrores do presente e festejar mesmo sofrendo com a herança perversa de sua história”  Sávio Tarso – Curadoria de Programação.

CINEDOCUMENTA

Cartaz

Show da Bande Dessinée

Depois de um tempo enfurnada dentro de estúdio, gravando seu primeiro CD, a Bande Dessinée volta aos palcos recifenses. O show será no Café Porteño, no bairro do Espinheiro, no Recife, dia 19 de maio, às 20 horas.

Na ocasião, a banda irá apresentar algumas canções do álbum, além, é claro, de versões que tornaram o grupo conhecido na Região Metropolitana do Recife. A Bande Dessinée, apesar do pouco tempo de existência, já participou de eventos musicais importantes como o Festival RecBeat e Porto Musical.

A previsão de lançamento do novo CD é no começo do segundo semestre deste ano. A Sambada Comunicação e Cultura, agente de shows da banda, planeja algumas apresentações de lançamento do disco em Festivais do Nordeste.

Aguardem!

Site: www.bandedessinee.com.br

(Cartaz de divulgação).

DSC_0227

Projeto Cinema e música

Mais uma edição do projeto Cinema e Música, desta vez, sem as chuvas de janeiro. O público que compareceu ao Bar dos Amigos foi de 45 pessoas. A maior parte formada por admiradores da banda Maria das Dores que mostrou músicas do próximo CD, em versões acústicas.

O equipamento de sonorização do Ponto de Cultura não permite formações mais arrojadas com amplificadores e bateria. A proposta do projeto é abrir espaço para os grupos musicais da região mostrarem seus trabalhos através de pocket show.

A mostra de filmes com temática indígena nas escolas – em menção ao dia 19 de abril, dia do índio – teve um bom público, como sempre. Mas, o que mais chamou a atenção da coordenação do Ponto de Cultura foi a completa ausência de material sobre o dia do índio: nenhum cartaz nas paredes, nenhuma frase, nenhuma pena ou seja, nenhum elemento que lembrasse que naquela semana comemorava-se o dia dos primeiros habitantes do Brasil.

O mais estranho é saber que Pernambuco possui uma das maiores populaçõpes indígenas do país e que o Sertão de Itaparica concentra a maior parte das etnias do Estado. Um fato preocupante!

Fotografia: Pedro Rampazzo/Sambada – Banda Maria das Dores apresentando-se no projeto Cinema e Música, no Bar dos Amigos.

Mais uma edição do projeto Cinema e Música, desta vez, sem as chuvas de janeiro. O público que compareceu ao Bar dos Amigos foi de 45 pessoas. A maior parte formada por admiradores da banda Maria das Dores que mostrou músicas do próximo CD, em versões acústicas.

O equipamento de sonorização do Ponto de Cultura não permite formações mais arrojadas com amplificadores e bateria. A proposta do projeto é abrir espaço para os grupos musicais da região mostrarem seus trabalhos através de pocket show.

A mostra de filmes com temática indígena nas escolas – em menção ao dia 19 de abril, dia do índio – teve um bom público, como sempre. Mas, o que mais chamou a atenção da coordenação do Ponto de Cultura foi a completa ausência de material sobre o dia do índio: nenhum cartaz nas paredes, nenhuma frase, nenhuma pena ou seja, nenhum elemento que lembrasse que naquela semana comemorava-se o dia dos primeiros habitantes do Brasil.

O mais estranho é saber que Pernambuco possui uma das maiores populaçõpes indígenas do país e que o Sertão de Itaparica concentra a maior parte das etnias do Estado. Um fato preocupante!

Fotografia: Pedro Rampazzo/Sambada – Banda Maria das Dores apresentando-se no projeto Cinema e Música, no Bar dos Amigos.

DSC_0113

Griô de ponto de cultura grava CD

O coquista Zeca do Rolete, griô do Ponto de Cultura Coco de Umbigada (Olinda/PE), está em estúdio gravando seu primeiro CD, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2011. O projeto é uma realização da Sambada Comunicação e Cultura, com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, através do Funcultura.

A produção e direção musical do CD é assinada pelo percussionista Sergio Cassiano e a produção fonográfica pelo selo Discos Legais. As gravações estão acontecendo no Fábrica Estúdios e contam com a participação dos familiares de Zeca e de alguns músicos convidados.

No repertório, além de composições do artista, alguns cocos de domínio público e músicas de autores pernambucanos. Seu Zeca, como é conhecido pelos amigos – que não são poucos – é uma das personalidades mais simpáticas da música pernambucana.

Fotografia: Paloma Granjeiro/Sambada – Sergio Cassiano, Nana Milet, Bárbara Gonçalves, Morena Rosa e Zeca do Rolete.