Arquivo mensais:fevereiro 2011

17_DSC1211

Solis lança CD no Festival Rec-Beat 2011

A cantora e compositora Solis apresenta o show de lançamento do seu primeiro CD, Camucais, no Festival Rec-Beat 2011. A artista, agenciada pela Sambada Comunicação e Cultura, apresenta-se no domingo (06/03), depois do bloco Quanta Ladeira.

Solis iniciou a carreira cantando bossa-nova e música latina. A partir de 2007, começou a estudar as nações africanas ketu e nagô e compôs algumas músicas em yorubá, gravando um EP com orins. O gosto pela musicalidade  negra levou a cantora aos ritmos africanos contemporâneos, como o afrobeat, o semba, a coladeira e outros ritmos de Cabo Verde, Angola e Moçambique.

Sua atração pelos sons do continente negro fez com que a artista traçasse um paralelo entre os ritmos africanos e a sonoridade da música brasileira, elementos presentes em Camucais, que estará nas lojas a partir de março.

Acompanhando Solis no palco: Ivan do Espírito Santo (saxo e flauta); Carlos Amarelo (bateria); André Mucuim (baixo); Marconi Ribeiro (guitarra) e Sabrina Sabino (vocal).

Link: FESTIVAL REC-BEAT 2011

Fotografia: Renato Filho/StUdiUM.

CARTAZ MARÇO 2011 CINE CLUBE FLORESTANO

Sessão comemorativa de um ano do CineClube Florestano

Parece que foi um dia desses! Em março de 2010, o Ponto de Cultura Sertão Itaparica Mundo iniciava as ações do CineClube Florestano, no Espaço Cultural João Boiadeiro, no Centro de Floresta, para um público reduzido. Depois veio a demanda sócio educativa em cinco escolas públicas; a 1ª Mostra Nacional Curta Sertão; a aquisição de acervo próprio (com mais de 600 títulos) e o principal: conseguir despertar em professores, alunos e coordenadores pedagógicos o interesse pelo audiovisual brasileiro.

Para comemorar estas importantes conquistas, a coordenação do CineClube selecionou produções do cinema nacional da década de 2010, período de continuidade do movimento conhecido como retomada do cinema nacional, iniciado em meados dos anos 1990. Antes, a produção de longas-metragens brasileiros passou por uma fase de decadência durante os anos 1970 e 1980, que coincidiu com a extinção da Embrafilme, no governo Collor de Mello. A situação só começou a melhorar a partir de 1993, com a criação da Lei do Audiovisual.

Abrindo a programação, Lula, O Filho do Brasil (SP, 2009). Filme de Fábio Barreto que traz para as telas o percurso do ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, do seu nascimento, em 1945, até 1980, quando era um líder sindical consagrado. O longa conta a saga da família Silva, uma saga igual a de tantas outras famílias Silva do Brasil.

Também baseado em fatos reais, Orquestra dos Meninos (RJ, 2008), dirigido por Paulo Tiago, conta a história do maestro Mozart Vieira e da Orquestra dos Meninos de São Caetano, criada por ele, no interior de Pernambuco, na década de 1980. Um exemplo de dedicação à música como instrumento da formação cidadã e do combate à pobreza.

O Céu de Suely (RJ, 2006), da diretora Karim Ainouz, apresenta a personagem Suely (interpretada pela atriz pernambucana, Hermila Guedes). Ela nasceu e foi criada na pequena cidade de Iguatu/CE. Grávida, tenta a vida em São Paulo com o namorado. Meses depois, porém, volta à cidade natal, sem desistir de seu sonho de morar na cidade grande. Para concretizá-lo definitivamente, bola um plano para conseguir condições materiais.

Do diretor pernambucano Marcelo Gomes, Cinema, Aspirinas e Urubus (PE, 2005) se passa em 1942, no sertão nordestino. Dois homens se encontram: Johann, um alemão que fugiu da Guerra, e Ranulpho, um brasileiro que quer escapar da seca. De povoado em povoado, eles exibem filmes para vender um remédio “milagroso”. Nesta jornada, ambos aprendem a respeitar as diferenças e surge entre eles uma amizade incomum, mas que marcará suas vidas.

Fechando a semana, uma sessão para a meninada da Escola Audomar Ferraz, o longa Os Xeretas (SP, 2001), dirigido por Michael Ruman. Três jovens descobrem uma rede de túneis que os levará muito além do que poderiam imaginar. Tudo começa quando encontram uma menina com um estranho objeto dourado. Com a ajuda de uma amiga mística, descobrem que a menina é uma viajante do tempo. Para retornar para casa ela precisa da chave dos portais e da ajuda do trio xereta. Começa aí uma grande aventura pelo desconhecido.

Arte do cartaz: Camila Cahú.

Primeiras sessões de 2011 nas escolas

Na véspera de completar um ano de atividades, o CineClube Florestano iniciou a demanda sócio educativa de 2011, em cinco escolas públicas de Floresta, exibindo filmes com personagens de cidades do interior do Brasil. A primeira obra exibida foi O Homem que Virou Suco, na Escola Afonso Ferraz, para um público recorde de 192 pessoas. Como a empolgação foi muita, a coordenação do CineClube quebrou o protocolo e exibiu também o curta de animação A Saga da Asa Branca, do cineasta pernambucano Lula Gonzaga.

Depois foi a vez da exibição da comédia A Marvada Carne, no bairro do DNER e do filme A Hora da Estrela, na Escola Júlio de Melo. Neste último, alguns professores utilizaram o filme – baseado numa obra de Clarice Lispector  – em sala de aula. A coordenação pedagógica começa a incluir o conteúdo dos filmes no planejamento das aulas. Isto está sendo possível devido à antecedência que a programação vem sendo fechada.

Para terminar a semana, o excelente documentário Terra Deu, Terra Come foi exibido na Escola Nestor Valgueiro e Castelo Rá-Tim-Bum – O Filme para a criançada da Escola Audomar Ferraz. Uma semana de muito trabalho e muita alegria também. O público total das cinco sessões foi de 574 pessoas. Outra alegria é o interesse de outras instituições nas atividades do CineClube Florestano. Em março, programação especial de um ano.
Fotografia: Paloma Granjeiro/Sambada – Apresentação da sessão na Escola Estadual Deputado Afonso Ferraz.
banner-bandeiras-geral

Doc Tebei será exibido na Europa

O documentário Tebei (PE, 2008), realizado pela Sambada Comunicação e Cultura será exibido, pela primeira vez, fora do Brasil. A estréia do vídeo na Europa será através do 2º FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, que acontece durante os meses de abril e maio deste ano.
Os principais objetivos do FEStin são o fomento à interculturalidade; a inclusão social e o intercâmbio entre os países de língua portuguesa, através da realização de um evento comprometido com a divulgação das diferentes culturas dos países: Brasil, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, SãoTomé e Príncipe, Moçambique, Angola e Timor Leste.

2º FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa